En
Tribuna de Honra

10'30" . HD . Cor . 2014 . RJ, Brasil


Sinopse

Jockey Clube. Rio de Janeiro, 7 de agosto. Chapéus circulam pelos salões do Grande Prêmio Brasil.



Nota dos diretores

 

Filmamos Tribuna de Honra há mais de três anos. Não sabíamos muito bem qual seria o resultado do que estávamos propondo, mas nos entusiasmávamos com a experiência que podia nos proporcionar. O dispositivo que encontramos com as atrizes usando câmeras acopladas em seus chapéus era uma ótima oportunidade pra brincar, ou seja, criar uma relação de aproximação e afronta com aquele universo sem perder o senso de humor.

 

O que não conseguimos prever é que o filme ia ser uma afronta a nós e ao nosso universo também. A experiência-filme subverteu o nosso terreno seguro. De diretores que acreditam controlar alguma coisa, tivemos que aprender a lidar com a arbitrariedade imposta pelo material a cada decisão feita ao longo da montagem. A imagem-errática veio com tudo pra cima da gente, questionando o nosso gesto e gosto já tão cristalizados e re-clamando a sua autonomia selvagem. Imagem-acaso, imagem-afronta. 

 

A combinação do Grande Prêmio do Brasil com o aparato GoPro nos chapéus das atrizes beira o grotesco, fere qualquer desejo de elegância, destrói qualquer intenção de ser profundo. O que sobra? Uma iconoclastia infantil, uma rebeldia com o outro, mas também consigo mesmo, uma permissividade irresponsável com o mundo ao redor, mas também com o cinema. 

 

E por essa sobra descobrimos o que permanece sendo o que sempre foi, o que permanece alheio a qualquer gesto nosso. A vontade de distinção. A relação de classes. Os que estão ali para servir e os que querem ser servidos. Uma elite branca que mantém seus delírios aristocráticos. Tudo volta a ser óbvio e sério. É necessário tentar explodir tudo mais uma vez. Desarticular a si mesmo e a um mundo pretensamente racional. É preciso não fazer sentido e abraçar o absurdo. Se não é mais possível escandalizar, devemos ao menos nos permitir o desejo de bagunçar, de sermos crianças mais uma vez, rir das coisas que não riem de si mesmas. 

 

Aline Portugal 

Julia De Simone 

Marcelo Grabowsky 

Ricardo Pretti


Equipe

Com:

Andrea Neri

Carla Ribas

Laura Araújo

 

Realização: Aline Portugal, Julia De Simone, Marcelo Grabowsky, Ricardo Pretti

Assistência de realização: Isabel Veiga

Assistência de produção: Érica Sarmet

Figurino: Sassá Magalhães

Som Direto: Ives Rosenfeld

Edição de som e mixagem: Bernardo Uzeda

 


 

Lançamento simultâneo no cinema e na internet

em dezembro de 2014:

 

- Mostra do Alumbramento em Fortaleza, CE

- Canal do movimento "Rio, mais cinema, menos cenário", no Youtube

- Sites Alumbramento e Mirada Filmes